Consumo Consciente e o Empreendedorismo Feminino

Quando compramos uma peça de roupa, nossa energia financeira acaba por sustentar todo o processo necessário para se fabricar aquela peça.


Ao termos consciência de como as peças que compramos são feitas, conseguimos escolher quem devemos apoiar financeiramente.

Ao consumirmos com consciência, conseguimos privilegiar empresas que fazem sentido para nós. E foi sobre isso que a Carol falou nesse encontro na feira das vegs, no dia 7 de abril.


Carol, suas filhas e seu caderno de anotações

Durante a roda de conversa, foi proposta a troca de peças que as pessoas haviam levado para doação.


Uma maneira de se gastar menos com roupas, é de adquirir roupas usadas de amigas, em feiras de trocas ou em bazares. Ao se gastar menos para se vestir, aumentamos nosso poder de compra e conseguimos pagar um pouco mais em roupas com um alto valor social.


A Fernanda, criadora da marca de sapatos sustentáveis Kasulo, relatou que uma costureira perguntou qual seria o valor pago pelo serviço de costura. Fernanda disse que seria o valor que a costureira achasse justo, e a costurei estranhou, pois estava acostumada a ser muito mal remunerada pelas outras marcas.


A intenção da Carol nessa roda de conversa foi de mostrar para as pessoas com conforto financeiro que elas podem mudar a realidade de muitas mulheres ao optarem por marcas que cuidam e remuneram corretamente as pessoas que participam da confecção de cada peças.

1 visualização