• Carolina Borges

Violência Política de Gênero



As vezes, algumas coisas nos deixa confusa.

Sem entender bem da onde vem o incômodo.


Por isso, é importante nomearmos algumas situações.

O machismo pode ser bem sutil as vezes.

A violência contra as mulheres existe, e as vezes não é percebida.


Vejam a seguinte situação:


Márcio França diz:

- A gente quer de volta São Paulo conduzindo o Brasil. A gente vai contar com você, a sua lindeza, sua beleza, a sua força de mulher jovem lutando por isso.


Marina Helou responde:

- Márcio, independente de como eu pareço, independente da minha visão, a gente não pode mais continuar tendo essa perspectiva para mulheres na política. A gente precisa entender que as mulheres estão aqui sim e não vão retroceder. Não vamos deixar nenhum ataque machista ou qualquer colocação nossa em relação a estarmos no poder. É hora de mais mulheres ocuparmos.

E para isso, você que está nos escutando precisa votar em mulheres.

Precisa votar em negros.

Precisa votar em outras pessoas que tragam perspectiva que hoje não estão espelhadas nos espaços de poder.


O vídeo dessa conversa está nesse link.


Infelizmente, quando uma mulher começa a participar da política, ela começa a ouvir coisas desse tipo. Quando se é mãe é ainda mais desafiador.

Sem um local adequado para que a reunião aconteça e as crianças fiquem confortáveis ao mesmo tempo que a mãe participa, a mãe é convidada a se retirar por estar "atrapalhando" o desenrolar da reunião.


A Violência Política de Gênero, resumindo, acontece quando uma mulher é impedida ou dificultada de participar da política.


Nós não estamos aqui para apontar se a Marina Helou foi vítima de violência política de gênero, mas usamos o caso como um exemplo.


Outro exemplo é a entrevista da Manuela D'Ávila, então candidata a presidência, ao programa Roda Vida, onde ela foi constantemente interrompida e sem conseguir concluir alguns raciocínios.


E como fazer para diminuir a violência política de gênero?


1) Falar a respeito é sempre saudável!

Fale sobre isso com pessoas do seu entorno e peça para elas fazerem o mesmo.


2) Passe esse post para a sua candidata!

Assim você ajuda ela a perceber


3) Apoie o projeto de lei que quer punir quem comete violência política de gênero!

O PL 4963/20 prevê multa e reclusão para quem pratica a violência política de gênero ou dificulta a mulher de exercer seu direito político.


Vote na enquete, que hoje, dia 31 de outubro, está bem desfavorável para as mulheres.


Alguns links de interesse:

- Resumo do projeto de lei 4963/20

- Enquete da Câmara

- Câmara lança campanha contra violência política de gênero com foco nas eleições municipais. Fonte: Agência Câmara de Notícias


Um documentário muito bom que fala sobre isso é o Eleitas!

O documentário pode ser assistido gratuitamente pela plataforma Video Camp através desse link.

Alias, esse documentário é muito inspirador e muito potente!

Vale aproveitar o livre acesso, assistir e divulgar!


14 visualizações